"Tirar dentro do peito a Emoção, A lúcida verdade, o Sentimento! (...)" Florbela Espanca

24
Mar 09

Do meu cérebro inane

As palavras desertaram,

Pelo sangue se dissiparam

Sem da boca um exclame.


Sem aparente concílio

No caos da elocução,

Finca-se outra preocupação

Que promove-me ao vazio.


Tornando a mim a ninfa

As palavras regressarão,

Todas juntas formarão

A mais estreme rima.


Catarina Azevedo

 

publicado por luabranca81 às 12:20

Olá Catarina!

Aqui estou eu de visita
com ou sem inspiração
sou alguém que acredita
que a poesia é solução

há emoções bem fortes
que nos toldam a razão
achemos outras sortes
que acabe a preocupação

Beijo grande
manu a 26 de Março de 2009 às 22:38

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS
Procurar
 
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Visitas
Visitantes
blogs SAPO