"Tirar dentro do peito a Emoção, A lúcida verdade, o Sentimento! (...)" Florbela Espanca

14
Nov 08

 

O teu suave calor

Acaricia-me a face

Levando a longa dor...

Tornas a vida doce.

 

És a luz intensa

Que com mil braços

Me aquece e rodeia

Correndo com os medos

 

Em todo o lado

De vida colorindo…

Da relva até ao cravo,

No riacho reflectindo…

 

Nessa luz e calor

Tens a tua virtude.

Mas ainda no fulgor

Eis acoutada a morte.

 

Catarina Azevedo

publicado por luabranca81 às 20:45

O sol está para a lua
como a vida para a morte
diz-me que sina é a tua
e eu dir-te-ei a tua sorte

Apesar de acabar de um modo trágico, este não deixa de ser um bonito poema que dá que pensar. Abraço.
manu a 14 de Novembro de 2008 às 22:38

Esse Sol que dá luz ao dia
Em cada raio sua sentença
Toma cuidado, sol em demasia
Provoca na pele doença!!!
MBeirão a 20 de Novembro de 2008 às 22:16

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
15

16
17
18
20
21

24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

RSS
Procurar
 
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape
Visitas
Visitantes
blogs SAPO